Rua Brigadeiro Franco, 974 Curitiba, PR 80430-210
41 3322-9696 / whatsapp 99694-4948

Coqueluche

Coqueluche

A coqueluche ou “tosse comprida” é uma doença infecciosa aguda, contagiosa e compromete o aparelho respiratório, provoca desconforto e tosse constante.

O quadro típico inclui três fases:

  • Fase catarral (1 a 2 semanas) período inicial em que a criança parece “constipada”, com obstrução nasal, espirros, lacrimejo, tosse seca, sem febre ou com febrícula.
  • Fase paroxística (2-6 semanas): a tosse agrava-se e manifesta-se com acessos muito intensos, em que a criança fica muito atrapalhada, com a face congestionada e nos acessos mais graves com cianose (“roxa”). Estes acessos terminam muitas vezes com o vómito da refeição anterior . É frequente a expulsão de rolhões de muco. Nesta altura, pode ocorrer hemorragias conjuntivais, prolapso retal, hemorragia nasal, dor abdominal ou rompimento do freio da língua. Fora dos acessos a criança parece estar bem.
  • Fase de convalescença (1-3 semanas a vários meses): os acessos de tosse tornam-se mais ligeiros e menos frequentes.

A transmissão ocorre pelo contato direto com as gotículas das secreções respiratórias de um individuo infectado, também pode ocorrer transmissão indireta (mais rara), por meio de objetos que tenham estado em contato recente com as secreções. Todos os indivíduos estão suscetíveis a doença, mesmo pessoas que contraíram a coqueluche, pois a imunidade adquirida não é permanente, apenas duradoura.

A prevenção se dá por meio da vacinação, sendo necessário doses de reforço ao longo da vida (a imunização não é permanente).

A vacina está no calendário vacinal a partir dos 2 meses de idade e deve ser realizada como reforço ao longo da vida (respeitando o prazo indicado), mulheres devem fazer a proteção contra a coqueluche a cada gravidez.

Conheça todas as Vacinas do Cevacine.

Confira também os sintomas e quando devem ser aplicadas.